Embaixada de Portugal no Luxemburgo

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Bem-vindo à página da Embaixada de Portugal no Luxemburgo

 

Bem-vindo à página da Embaixada de Portugal no Luxemburgo. Neste sítio ser-lhe-ão disponibilizadas múltiplas ligações que lhe permitirão aceder a informações relevantes sobre Portugal e o Luxemburgo, bem como fornecidas indicações úteis acerca das diversas vertentes do relacionamento bilateral luso-luxemburguês e das atividades da Embaixada.

Portugal inclui-se entre os primeiros países que estabeleceram relações diplomáticas com o Luxemburgo (em 1891) e mantém com o Grão-Ducado  um relacionamento intenso, potenciado pela forte presença aqui de um elevado número de residentes portugueses.

A dimensão semelhante de ambos os Estados e a partilha de valores e interesses comuns constituem também importantes elementos facilitadores das trocas bilaterais, que têm conhecido nos últimos anos um particular dinamismo.

Espero que esta página possa contribuir para um melhor conhecimento mútuo dos dois países.

Carlos Pereira Marques

Embaixador de Portugal no Luxemburgo  

Trabalhadores portugueses terão mais direitos

Os Governos de Portugal e do Luxemburgo alcançaram, no dia 12 de janeiro, um entendimento de princípio que permitirá a realização de formação profissional em língua portuguesa para trabalhadores emigrantes no setor da construção civil e outras atividades manuais.

Esta possibilidade era ansiada pelos sindicatos luxemburgueses há mais de uma década ,e os termos de um acordo foram obtidos numa reunião, no Luxemburgo, entre o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, e o Ministro do Trabalho do Luxemburgo, Nicholas Schmit. Os termos exatos da colaboração serão assinados até ao final de março.

José Luís Carneiro com Nicolas Schmit

“O objetivo é estabelecer um quadro de oferta de formação profissional em língua portuguesa, com materiais de apoio em português”, para permitir aos trabalhadores portugueses no Luxemburgo o acesso a três dimensões fundamentais: formação contínua, reconversão profissional e reconhecimento e validação de competências técnicas específicas, contextualizou José Luís Carneiro no final do encontro.

“Muitos formadores são de origem portuguesa, o que já ajuda, mas agora queremos criar um quadro para facilitar a cooperação ao nível da formação profissional, sobretudo no setor da construção, facilitando a utilização da língua portuguesa”, referiu o ministro Nicholas Schmit. “Vamos trabalhar para criar um quadro para que ninguém seja excluído da formação por razões linguísticas”, acrescentou.

O acordo vai abranger o Instituto de Formação Setorial da Construção (ISFB na sigla luxemburguesa), que esteve representado no encontro, mas é vontade do Ministro do Trabalho luxemburguês que sejam incluídas outras entidades ligadas à formação contínua.

José Luís Carneiro, após prévia articulação com o Ministério do Trabalho português, manifestou a disponibilidade de Portugal para financiar a criação de manuais em língua portuguesa e para colaborar a outros níveis no domínio da formação. “Iremos dar conta desta possibilidade ao Ministro do Trabalho, Vieira da Silva, que tem a tutela do emprego e formação, para que possa determinar a melhor solução do ponto de vista técnico e político para a colaboração entre os dois países”.

Um acordo muito aguardado

Desde 2002 que a lei luxemburguesa exige um diploma emitido pelo IFSB para progredir no escalão profissional e poder aumentar o salário. Os cursos são necessários também para os trabalhadores desempregados que querem obter novas competências. O problema é que, para os emigrantes portugueses, que representam a maioria dos trabalhadores no setor, tal significa fazer formação e exames em luxemburguês, alemão ou francês, idiomas que a maioria não domina, ficando impossibilitados de aceder a essa formação.

A central sindical luxemburguesa OGB-L reclamava a possibilidade de organizar cursos de formação em português desde 2002, tendo estado previsto um acordo em 2008 que, por razões diversas, não foi concretizado. Num encontro formal com o Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, e com o Embaixador de Portugal naquele país, Carlos Pereira Marques, no dia em que o entendimento foi alcançado, 12 de janeiro, os dirigentes sindicais Carlos Pereira e Hernâni Gomes regozijaram-se com o significado do acordo.

Desde a tomada de posse que o atual Governo português trabalhou nesta prioridade política. Afirmando estar muito satisfeito com este acordo, o Secretário de Estado das Comunidades não deixou de “elogiar o trabalho desenvolvido pelo Embaixador português” e de reiterar “a importância de os trabalhadores portugueses aprenderem uma das línguas [do país], como o francês”, não só “para a sua integração profissional como social”.

Nesta visita José Luís Carneiro esteve acompanhado pelo Embaixador de Portugal no Luxemburgo, pelo presidente do Instituto Camões, Luís Faro Ramos, e ainda pelo Cônsul-Geral no Luxemburgo, Manuel Gomes Samuel.

O programa incluiu ainda encontros com o Secretário-Geral do Sindicato dos Professores do Estrangeiro, Carlos Pato, e a entrega da Medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas ao cidadão lusodescendente Davide Sousa.

José Luís Carneiro reuniu com o Ministro do Trabalho do Luxemburgo

Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, entrega Medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas ao cidadão lusodescendente Davide Sousa

José Luís Carneiro entrega medalha de mérito a cidadão lusodescendente

Na sua deslocação ao Luxemburgo, no dia 12 de janeiro, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, entregou a Medalha de Mérito das Comunidades Portuguesas ao cidadão lusodescendente Davide Sousa.

No momento da distinção, José Luís Carneiro enalteceu a “cidadania comprometida com o Estado de Direito democrático” de Davide Sousa, oficial da polícia luxemburguesa que já realizou missões internacionais de paz na Geórgia, na Bósnia e em Itália. Davide Sousa, filho de emigrantes portugueses originários de Chaves no Luxemburgo, investigou e revelou uma fraude com subsídios sociais com dimensão europeia no Luxemburgo.

“Uma das funções essenciais do Estado democrático é apoiar os que mais carecem de apoios públicos, mas, para que esta função de solidariedade possa ser cumprida, é necessário que apenas usufruam destes apoios aqueles que efetivamente deles necessitam. Ora, este cidadão com origens em Portugal não apenas tem mostrado estar comprometido com os valores da paz e do humanismo europeu, como, ao mesmo tempo, exibiu uma cultura de compromisso com uma cidadania exigente e responsável”, vincou José Luís Carneiro.

Entrega da Medalha de Mérito das Comunidades a Davide Sousa

Davide Sousa, que já tinha recebido o prémio de cidadão do ano atribuído pelo Parlamento Europeu em 2017, disse ser “extremamente gratificante perceber que o Estado português não se esquece dos lusodescendentes que nos vários pontos do globo tentam manter a língua, a cultura e as tradições de Portugal vivas, perpetuando-as a outras gerações e comunidades com as quais convivem”.

Apesar de ter nascido no Luxemburgo, Davide Sousa continua a falar português, tanto no trabalho como em casa. “A minha filha mais velha, que tem cinco anos e meio, já fala quatro línguas, incluindo português correto”, referiu.

Visita de SAR a Grã-Duquesa Herdeira do Luxemburgo ao CCP

18931 visitlux2

A Grã-Duquesa Herdeira do Luxemburgo visitou no dia 11 de dezembro de 2017, ao fim da tarde, as instalações do Camões – Centro Cultural Português no Luxemburgo.

A Princesa Stephanie do Luxemburgo descobriu a exposição “Para Sempre”, de Miguel Branco, patente até 22 de janeiro de 2018, no CCP, tendo contado na sua visita com a companhia do artista.

18931 visitlux3

COMUNICADO: Camões – Instituto da Cooperação e da Língua

camoes logo

Recentemente, o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. tomou conhecimento de que o seu nome está a ser utilizado na circulação de mensagens fraudulentas com origem em vários endereços eletrónicos identificados como “Instituto Camões Portugal”, com referência a bolsas de estudo atribuídas por este Instituto. 

Aos candidatos é solicitada informação e documentação pessoal, verificando-se, em alguns casos, a realização de contacto telefónico.

Neste contexto, esclarece-se que a informação sobre Bolsas de Estudo oferecidas pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. encontra-se disponível na página oficial do Instituto em http://www.instituto-camoes.pt/.

Não existe qualquer acordo do Camões com entidades terceiras para o fornecimento de informação sobre as Bolsas de Estudo ou para qualquer intervenção nos procedimentos para a sua atribuição.

Os concursos são divulgados nas páginas oficiais das Embaixadas de Portugal e nas páginas oficiais das redes sociais do Camões, I.P.

“PARA SEMPRE” - Miguel Branco no Centro Cultural Português - Camões

Estará patente nas instalações do Centro Cultural Português - Camões, 4, place Joseph Thorn, L – 2637, Luxembourg, a exposição de Miguel Branco, “PARA SEMPRE”, a partir de  7 de novembro de 2017 até 22 de janeiro de 2018.

Nesta ocasião será apresentada, entre outras obras, uma escultura do artista português Miguel Branco, pertencente à coleção do MUDAM Luxembourg.

luxemburgo unido por portugal pt page 001

A inauguração  teve lugar na segunda-feira, 6 de novembro às 18:30 no âmbito da semana  Art Week 2017 do Luxemburgo.

Fotos do evento:

©Gerry Huberty:

miguel branco para sempre gerry huberty4

miguel branco para sempre gerry huberty

miguel branco para sempre gerry huberty8

Para Sempre

(For Ever)

“Para Sempre” é o título da exposição individual de Miguel Branco no Centro Cultural Português -Camões no Luxemburgo. Expondo regularmente desde 1988, Branco desenvolveu um trabalho muito pessoal utilizando uma variedade de media, incluindo a pintura, a escultura, o desenho, a instalação e a imagem digital.

Conhecido pelo seu particular uso da escala e por ter a imagem do animal como um dos seus temas mais presentes, o seu trabalho é baseado em imagens existentes. Estas imagens são retiradas de diferentes fontes e de diferentes períodos da História da Arte, dos media, como fotografias de jornais, a ficção científica, a banda desenhada, imagens que circulam na internet.  Este uso de diferentes níveis históricos faz parte de um sistema construtivo, tal como expresso nas palavras do crítico Bernardo Pinto de Almeida:

O artista disseca, como se com um bisturi, inúmeras representações clássicas que vai desconstruindo e depois aplica-se a remontá-las produzindo enigmáticas imagens híbridas. Estas imagens são depois meticulosamente (re)construídas, (re)feitas, por sucessivos processos de reelaboração, pela montagem e colagem a partir de elementos dispersos colhidos em outras fontes, muitas vezes virtuais, fazendo uso abundante e livre das imensas possibilidades que as novas tecnologias da imagem permitem, como sejam o aumento e a diminuição da escala, a ampliação, o apagamento, o cropping, a colagem, a montagem, etc.

 Estas formas, que por sua vez re-faz e re-modela, fazendo-as passar pela sua própria intervenção manual, resultam sempre em novas imagens, já que são obtidas através de um sem número de operações de virtualização que anulam todo o vestígio daquilo a que chamamos vulgarmente uma origem e que apagam a marca de sequer ter havido uma imagem primeira.”

 (Extracto do texto de Bernardo Pinto de Almeida do catálogo da exposição individual de Miguel Branco “The Silence of Animals”, Schloss Ambras, Innsbruck, Kunsthistorisches Museum, Áustria, 2015)

Contactos

282, route de Longwy
L – 1940 Luxembourg

+352 46 61 90 – 1
luxemburgo@mne.pt (Geral)
sec.luxemburgo@mne.pt (Secretariado)

Mais informação

Ligações úteis

Logotipo Portal das Comunidades Portuguesas

logo

Logotipo Carreiras Internacionais

Logotipo Turismo de Portugal

Logotipo AICEP - Portugal Global

Logotipo Portugal Economy Probe

Logotipo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua

Logotipo Instituto Diplomático